quarta-feira, 30 de junho de 2010

CÓDIGO FLORESTAL

Aldo Rebelo recua, mas relatório do Código Florestal mantém autorização para novos desmatamentos


O deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), relator do Projeto de Lei 1876/99, que reforma o Código Florestal, anunciou nesta terça-feira (29/06), durante reunião da Comissão Especial criada para debater o tema, algumas mudanças que fará em seu parecer para incorporar sugestões apresentadas por parlamentares e pelo PSOL.

EFEITO ESTUFA




Cientistas estudarão o efeito estufa na Antártica
Clique para ver todas as fotos de Cientistas estudarão o efeito estufa na Antártica
Oceano Antártico é reconhecidamente região com altos níveis de matéria orgânica. No início de 2011, um grupo de pesquisadores do Laboratório de Nutrientes, Micronutrientes e Traços no Oceano (Labnut) do Instituto Oceanográfico (IO) da Universidade de São Paulo (USP) realizará medições e estudos no Estreito de Bransfield, na Antártica. O objetivo é avaliar a quantidade de gás carbônico (CO²) capturado da atmosfera por organismos marinhos e como essa atividade contribui para diminuir o efeito estufa no planeta.
Estudo avalia produção de borracha em áreas de várzea no Amazonas

http://www.enciclopedia.com.pt/images/6seringueiroacre.jpg
Crédito:Peter Wimmer(Inpa) 
 
O estado do Amazonas já foi o maior produtor de borracha no mundo, hoje, Tailândia e Indonésia são responsáveis pela produção mundial. O látex é utilizado para produção de luvas cirúrgicas, preservativos, próteses, pneus, balões, máscaras, bonecos, solados, pisos e revestimentos, entre outros produtos comuns no nosso cotidiano. Tal matéria prima é tão importante devido às características como, flexibilidade, elasticidade, resistência à corrosão, impermeabilidade, fácil adesão ao aço.

terça-feira, 29 de junho de 2010

ESALQ ESTUDA PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇUCAR



Pesquisa analisa viabilidade ambiental do uso do etanol de cana
             
                                   Coleta de amostra de gás do experimento feito no laboratório


Câmaras instaladas no campo

O efeito estufa e o aumento das concentrações atmosféricas dos principais gases relacionados a este processo tem ganho grande destaque nos últimos anos. Paralelo a intensificação do efeito estufa caminha a escassez das reservas mundiais de petróleo, fator que aumenta a demanda por biocombustíveis, pois estes substituem os combustíveis fósseis com a vantagem de emitirem menor quantidade de gases do efeito estufa (GEE) durante a combustão.

SEGURANÇA ALIMENTAR


Chá pode contribuir para segurança alimentar de países, diz FAO
http://www.mariajoaodealmeida.com/img_upload/tea%20india%202.jpg
Relatório da agência da ONU mostra ainda que o mercado de exportação para o chá verde irá crescer mais rapidamente do que para o chá preto nos próximos 10 anos; países importadores tem um consumo per capita muito inferior e, por isso, existe um grande potencial de mercado.
http://2.bp.blogspot.com/_tN21WEYq0k0/Sce3BOnsoeI/AAAAAAAAAMo/f3RZQafqhNQ/s400/ch%C3%A1+verde+-+planta%C3%A7%C3%A3o.bmp


A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, fez um apelo aos países produtores de chá para aumentarem as receitas do produto através de uma maior promoção da bebida a nível interno e de campanhas de marketing no exterior sobre os seus benefícios para a saúde.

FINAL DA CIB COM PONTOS NEGATIVOS




http://www.enciclopedia.com.pt/images/baleias.jpg
Vários Cetáceos: 1-  Baleia-da-groenlândia ; 2- Orca; 3-  Baleias francas ; 4-  Cachalote ; 5- Narval; 6- Baleia Azul; 7- Rorqual; 8- Beluga


Como resultados a permanência da moratória contra a caça comercial de baleias e a redução da caça de dez baleias fins, além da inclusão de nove baleias jubartes pela Groelândia, como caça aborígene de subsistência

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/baleia/imagens/baleia-19.jpg

A 62a Reunião Anual da Comissão Internacional da Baleia (CIB), realizada na cidade de Agadir, em Marrocos, terminou no último sábado, 26 de junho, após cinco dias de muitas negociações entre os 88 países membros, dentre eles o Brasil. Como resultado se conseguiu a permanência da moratória contra a caça comercial de baleias, em vigor desde 1986, e a redução da caça de dez baleias fins. Além disso, foi determinada uma pausa com um ano de reflexão para que se possa tratar novamente o futuro da Comissão. A reunião teve como ponto positivo a divisão de grupos para discussão dos pontos de vistas dos mesmos, sendo a primeira vez que os países tiveram a oportunidade de terem conversas bilaterais e se conhecerem mais para que haja um entendimento maior dos pontos de vista e dos aspectos culturais e sociais de cada país, o que vai ajudar muito nas discussões futuras que visam levar a um acordo e a uma Comissão eficiente.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

SP - POLÍTICA DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS É REGULAMENTADA

Política de Mudanças Climáticas é regulamentada
Governo de São Paulo regulamenta lei que tem como meta a redução
de 20% da emissão de gases de efeito estufa até 2020,
em todos os setores da economia (foto: GSP)


O governador do Estado de São Paulo, Alberto Goldman, assinou o decreto que regulamenta a Política Estadual de Mudanças Climáticas (PEMC). A cerimônia ocorreu no dia 24, no Palácio dos Bandeirantes.

A regulamentação é resultado da Lei nº 13.798, sancionada em novembro de 2009, que tem como meta a redução, em todos os setores da economia, de 20% da emissão de gases de efeito estufa até 2020, tendo por base o ano de 2005. A meta é quatro vezes mais rigorosa do que a definida no Protocolo de Kyoto.

SOLSTÍCIO MARCA INÍCIO DO INVERNO

Fenômeno astronômico marca início do inverno no hemisfério sul

Apesar de imperceptível, exatamente às 08h28, do dia 21/06 segunda-feira os raios solares atingiram o hemisfério Sul da Terra menos diretamente do que nos outros dias do ano. Esse fenômeno é chamado de Solstício de Junho, mas é popularmente conhecido por marcar o início do inverno no hemisfério sul e verão no hemisfério norte.
estações do ano

Esse fenômento é causado por dois fatores astronômicos e naturais: a translação da Terra ao redor do Sol e a inclinação do eixo terrestre. Ao contrário do que muitos pensam, as estações do ano nada tem nada a ver com a aproximação maior ou menor entre a Terra e o Sol.

A figura acima ajuda a compreender o fenômeno. Para dar uma volta ao redor do Sol, a Terra leva 365 dias e mais seis horas. Durante essa viagem, a inclinação do eixo não muda e sempre parece apontar para a mesma posição no espaço. Essa inclinação, que é de 23.5 graus, faz com que os hemisférios recebam a incidência de raios solares de forma diferente durante o ano.



solsticio


Durante o Solstício de Inverno, a inclinação do eixo é mínima no hemisfério Sul (lado direito do gráfico), fazendo com que as regiões abaixo da linha do Equador sejam atingidas menos diretamente pelos raios do Sol.

Por outro lado, o hemisfério Norte do planeta estará sendo mais favorecido, com maior incidência solar. Ou seja, enquanto nós comemoramos a chegada do inverno, os habitantes do hemisfério norte comemoram o início do verão. 

Pelo gráfico é possível ver que a situação se inverte no mês de dezembro, quando teremos o Solstício de Verão, marcando o início da temporada da estação quente abaixo do equador e o início do inverno no hemisferio norte.

O solstício de inverno também é marcado pelo dia mais curto do ano aqui no hemisfério sul e até a próxima estação as noites serão mais longas que os dias.

Fonte: Apolo11 -

REGIÕES COSTEIRAS VULNERÁVEIS A MUDANÇAS CLIMÁTICAS



Estudo aponta vulnerabilidades na costa brasileira
LitoralRJ2c


"Não há dados suficientes para o planejamento adequado de ações para mitigar e adaptar os efeitos das mudanças climáticas, tais como elevação do nível do mar, na região costeira do Brasil." A afirmação é do professor de Engenharia Costeira da Coppe Paulo Cesar Colonna Rosman, que coordenou um projeto de identificação devulnerabilidade de regiões costeiras do país às mudanças climática.
O estudo, que faz um diagnóstico dos problemas e recomenda medidas e ações, foi apresentado a representantes dos poderes públicos federal e estadual. Segundo Rosman, o trabalho prevê o investimento, nos próximos 50 anos, de R$ 3 bilhões em ações para preservar um patrimônio estimado em R$ 200 bilhões na zona costeira do país.

domingo, 27 de junho de 2010

SEPETIBA SERÁ RECUPERADA

PRAIA DE SEPETIBA COMEÇA A SER RECUPERADA




PAISAGEM DA BAIA DE SEPETIBA PRÓXIMO A ILHA DA MADEIRA


CRÉDITOS DA IMAGEM: WIKIPÉDIA

A secretária estadual do Ambiente, Marilene Ramos, e o presidente do Inea (Instituto Estadual do Ambiente), Luiz Firmino Martins Pereira, apresentaram nesta quarta-feira (23/06) o projeto de recuperação da praia de Sepetiba, na Zona Oeste, uma das mais importantes obras sob o ponto de vista ambiental do Rio. A orla será reconstituída com a recolocação da faixa de areia e a retirada da lama. Uma área de mangue constituída por espécies invasoras e caranguejos serão remanejados para o Fundão. A obra, orçada em R$ 46 milhões, com recursos do Fecam (Fundo Estadual de Compensação Ambiental), está a cargo da Odebrecht e atende às reivindicações de pelo menos 40 mil moradores do bairro.

Nesta primeira fase, a Secretaria Estadual do Ambiente fará o remanejamento de aproximadamente 500 mil mudas invasoras da área do mangue e de 780 mil caranguejos que só se estabeleceram em parte da praia porque a lama cobriu a antiga faixa de areia. A vegetação está sendo realocada no Canal do Fundão, onde o Governo do Estado realiza obra de despoluição, e os crustáceos serão levados para uma área vizinha à Base Aérea de Santa Cruz. Essas intervenções têm supervisão do biólogo Mário Moscatelli.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

DESASTRE AMBIENTAL NA ILHA DA MADEIRA



Documentário denuncia desastre ambiental em ilha fluminense

Talita Rodrigues/Agência Fiocruz


As agressões ambientais ocorridas na Ilha da Madeira, em Itaguaí (RJ), e as consequências na vida dos pescadores do local são o tema central do documentário Território de sacrifício ao deus do capital: o caso da Ilha da Madeira. O vídeo foi produzido por pesquisadores da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) e mostra como a vida dos moradores da ilha foi afetada com a chegada de grandes empreendimentos econômicos à região do Porto de Itaguaí.
 A Ilha da Madeira, na Baía de Sepetiba
A Ilha da Madeira, na Baía de Sepetiba 
Considerada estratégica economicamente por estar localizada entre os maiores centros industrias do país e sediar um dos maiores portos do Brasil, a região sofreu grandes impactos ambientais a partir da década de 1950. Além das indústrias que se instalaram na própria Ilha da Madeira, as empresas do entorno também geram vários poluentes industriais que trazem consequências para a vida, o trabalho e a saúde dos moradores da localidade.

PROJETO PANAMAZÔNIA II

Projeto mapeia vegetação em municípios do Mato Grosso


Imagem: NASA/GEOCOVER - 2000


Os primeiros resultados do mapeamento dos biomas Floresta e Cerrado no Mato Grosso mostram como evoluiu a ocupação das terras em São José do Xingu, Colniza, Água Boa e Reserva do Cabaçal. O Panamazônia, projeto do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), classifica as condições dos biomas em fragmentos florestais, desflorestamento e rebrotas, entre outras legendas. As mudanças da cobertura vegetal se revelam no estudo dos mapas feitos a partir de imagens de satélites.

METAIS PESADOS TOXICOS AFETAM AS BALEIAS

http://www.netmercadao.com.br/imagens/editorial-tur-nordeste/baleias-jubarte.jpg

Poluição dos mares já intoxica baleias, revelam cientistas


Análises das células das baleias mostram que a poluição está chegando às partes mais remotas do oceano


Pesquisadores americanos que passaram cinco anos atirando em mais de 1.000 baleias com dardos de coleta de tecidos descobriram níveis surpreendentemente altos de metais pesados e tóxicos nos animais, por toda a viagem de 140.000 quilômetros dos animais.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

OCEANOS MAIS ACIDOS CAUSA TRANSTORNO A VIDA MARINHA


Acidez crescente dos oceanos prejudica espécies marinhas

http://2.bp.blogspot.com/_ykgPfWY94k0/Swvq5sxmoHI/AAAAAAAAAXw/76VXn64wJxw/s1600/2222.jpg



A acidez crescente dos oceanos, que absorvem mais de um quarto do dióxido de carbono emitido pela atividade humana, poderia prejudicar os corais, os moluscos e outras espécies marinhas, afirmam especialistas.

A 1.200 km do Pólo Norte, no arquipélago de Svalbard (Spitzberg), cientistas de nove países europeus iniciaram uma ampla investigação para procurar entender melhor um fenômeno pouco conhecido.

FAZENDAS AQUI, FLORESTAS LÁ

ONG's assinam nota pública sobre Código Florestal, desmatamento zero e competitividade agrícola em repúdio ao estudo americano "Fazendas aqui, florestas lá"http://www.ecodebate.com.br/foto/amz6.jpg



Recentemente lançado nos Estados Unidos, o estudo "Fazendas aqui, florestas lá",  patrocinado pela organização National Farmers Union (União Nacional de Fazendeiros), principal sindicato rural norte-americano, e apoiado pela Avoided Deforestation Partners (Parceiros pelo Desmatamento Evitado) – uma aliança informal de pessoas e organizações que defendem o fim do desmatamento no mundo, foi feito para promover a aprovação da lei de mudanças climáticas, em tramitação no Senado americano. 

quarta-feira, 23 de junho de 2010

PROTESTE CONTRA BELO MONTE


Usina de Belo Monte é tema de palestra na UFPA Nesta terça, 22, às 9h30, ocorreu o Seminário "Belo Monte: conflitos sociais, destruição ambiental e crise constitucional". 

O evento faz parte do calendário de atividades do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, o PPGSS. O Programa organiza, mensalmente, debates sobre diversos temas e ocorre sempre no auditório do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA). Mais de 50 pessoas participaram do evento.

EQUIPAMENTO BRASILEIRO AVALIA POLUIÇÃO E ALERTA SOBRE ENCHENTES

Detector de enchentes e poluiçãoDetector de enchentes e poluição
Professor da USP desenvolve sensor para monitorar a poluição e o aumento do nível em rios, alertando autoridades e a população (divulgação)



Agência FAPESP/ Fabio Reynol


Uma rede de sensores sem fio capaz de alertar autoridades sobre inundações iminentes poderá ser uma importante ferramenta de auxílio aos órgãos de defesa civil. O equipamento de monitoramento também é capaz de medir a poluição dos rios.

A novidade foi desenvolvida pelo professor Jó Ueyama, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da Universidade de São Paulo (ICMC-USP), em São Carlos.

AVATAR II A LUTA CONTRA USINA

Rodolfo Salm

por Rodolfo Salm*
Jornal da Universidade Federal do Pará
 foto Karol Khaled


James Cameron, diretor de Titanic e da badalada aventura ecológico-espacial Avatar, esteve em Altamira, no final de março, para conhecer a região onde se pretende construir a Hidrelétrica de Belo Monte. Dias antes, o cineasta havia "implorado" ao presidente Lula que reconsiderasse a decisão da construção da monumental obra no Xingu.  Ele dirigiu-se de barco à Terra Indígena Arara, da Volta Grande do Xingu. Lá, reuniu-se com índios de várias etnias e, mais tarde, encontrou-se conosco, os não-índios que também lutam contra a concretização deste projeto desastroso.

ÁGUA MINERAL VENDIDA NO PARÁ É INVESTIGADA

QUE TIPO DE ÁGUA ESTÁ NA SUA MESA?


Classificada como mineral, a água tem maior apelo
e valor comercial

por Yuri Rebêlo
foto Karol Khaled/UFPA
Segundo os especialistas, cerca de 70% do corpo humano é formado por água. Ela é essencial para o transporte de alimentos, de oxigênio e de sais minerais, além de estar presente em todas as secreções (como o suor e a lágrima), no plasma sanguíneo, nas articulações, nos sistemas respiratório, digestivo e nervoso, na urina e na pele. Por isso é recomendado que um ser humano adulto tome, em média, dois litros e meio de água por dia. Para suprir a sua necessidade diária e por não confiar na qualidade da água do abastecimento público, boa parte da população recorre à água mineral. 
 

segunda-feira, 21 de junho de 2010

CÓDIGO FLORESTAL - ADIADA MAIS UMA VEZ A VOTAÇÃO DO RELATÓRIO REBELO

Comissão pode votar mudanças no Código Florestal no dia 28

A comissão especial que analisa a reforma do Código Florestal (Projeto de Lei 1876/99 e outros) remarcou para o dia 28 a votação do parecer do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP). A intenção inicial era votar o parecer hoje. Na semana passada, um pedido de vista conjunto já havia adiado a votação.

Entre outros pontos, o texto apresentado por Aldo Rebelo atribui mais autonomia aos estados para legislar sobre meio ambiente, retira a obrigatoriedade de reserva legal para pequenas propriedades e prevê que as áreas atualmente em uso para produção rural serão consideradas espaço consolidado da atividade agrícola.

Divergências
PV, Psol e o Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União divulgaram notas técnicas na quais criticam o parecer de Aldo Rebelo. A avaliação dos dois partidos e da entidade é que o texto representa um retrocesso na proteção ambiental.


O presidente da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado Sarney Filho (PV-MA), afirmou na semana passada que a bancada ambientalista vai usar de todos os recursos legais e regimentais para evitar que a proposta seja votada antes das eleições.

O parlamentar, que vai apresentar voto em separado, considera mais adequado votar o parecer após as eleições de outubro. Sarney Filho alerta para o risco de a disputa eleitoral prejudicar a discussão do tema.

Já para o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), a proposta deve ser votada antes das eleições. Ele afirmou que a mudança do código é um pedido da sociedade, e o Congresso assumiu o compromisso de votá-la.

O horário e o local da reunião ainda não foram definidos.

Agência Câmara

RIO - BOTÂNICO IMPLANTA SISTEMA DE CATRACAS ELETRÔNICAS

Jardim Botânico do Rio de Janeiro moderniza sistemas de acesso

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/8/8c/QuintaBoaVista2.jpg/300px-QuintaBoaVista2.jpg
Novos sistemas de acesso começaram a ser testados este mês no Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Onze catracas funcionarão nas entradas do Arboreto, nove das quais nos portões utilizados pelo público e outras duas nos específicos para funcionários.

MINISTÉRIO ESTUDA CRIAÇÃO DE FUNDO PARA A CAATINGA

O projeto busca captar recursos para ações de combate à desertificação e mitigação dos efeitos da seca, além de ampliar a oferta e despoluir os recursos hídricos com a recuperação e revitalização de áreas degradadas

http://i.olhares.com/data/big/257/2578629.jpg


O secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente, José Machado, em reunião com representantes do Banco do Nordeste, apresentou nesta quinta-feira (17) a minuta para estruturação do Fundo Caatinga. A proposta para criação de um fundo para o bioma é resultado do I Encontro Nacional de Enfrentamento da Desertificação, realizado em março em Petrolina (PE) e Juazeiro (BA). Após discussão, o projeto será encaminhado para a Casa Civil e deverá ser criado por meio de decreto.

BANANAS DA CHAPADA E A LEI DO MAIS FORTE

Réquiem a um ambientalista contra os agrotóxicos

http://rio24horas.files.wordpress.com/2009/05/agrotoxico.jpg

18 de junho de 2010

Por José Júlio da Ponte
Presidente da Academia Cearense de Ciências
Em Diário do Nordeste


No ano passado, recebia, em minha Clínica de Planta, a visita do líder comunitário da Chapada do Apodi, José Maria Filho - o Zé Maria do Tomé: "Vim adquirir os livros que você escreveu contra esses venenos". 

domingo, 20 de junho de 2010

AMAZÔNIA GUARDA IMENSA RESERVA AQUÍFERA

   AMAZÔNIA GUARDA RESERVA DE ÁGUA POTÁVEL


Nome da reserva é homenagem à praia situada em
Santarém, na região tapajós


por Jéssica Souza
foto Tamará Saré/Ag. Pará
Uma enorme dimensão física formada por fauna, flora, rios e diversos ecossistemas, componentes fundamentais de manutenção do equilíbrio dinâmico da Terra e de relevância estratégica para toda a humanidade: não é de hoje que a região amazônica atrai olhares do mundo inteiro. A biodiversidade da maior floresta tropical do planeta é tida como uma fonte inestimável de possibilidades econômicas à espera de estudos e descobertas. E é nesse cenário que se localiza o Aquífero Alter do Chão, uma reserva com cerca de 86,4 quatrilhões de litros de água subterrânea, suficiente para abastecer a população mundial em cerca de 100 vezes.

sábado, 19 de junho de 2010

PARTICIPE DA ESCOLHA DO ANIMAL SIMBOLO DE SÃO PAULO


Participe da escolha do animal silvestre símbolo de São Paulo
Uma lista com 15 espécies selecionadas para eleição do animal silvestre símbolo da cidade de São Paulo foi elaborada por técnicos da Divisão de Fauna com a colaboração de professores e pesquisadores do Museu de Zoologia/USP, do Instituto de Biociências/USP, do Instituto Butantã e das ONGs Save-Brasil e Centro de Estudos.
Escolha o seu!


Animal Símbolo
Participe da escolha do animal silvestre símbolo
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo BenteviBugioCaracaraCaxingueleJoaoDeBarroPererecaPeriquitoPicaPauRaDeVidroSabiaSarueSucuaranaTicoTicoPapaVentoTesourao

Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Bentevi
(Pitangus sulphuratus)


Uma das aves mais populares da cidade, o Bentevi se adaptou muito bem ao desenvolvimento urbano de São Paulo. Seu afamado canto, muito conhecido, parece uma feliz saudação e pode ser ouvido até mesmo em pátios de prédios longe das áreas verdes da cidade. Seu comportamento de domínio territorial é flagrado quando o Bentevi persegue com valentia aves maiores do que ele.


Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Bugio
(Alouatta guariba clamitans)


Estes macacos vivem em grupos e se distinguem dos demais pelo comportamento tranqüilo e por emitir um "ronco" peculiar, que pode ser ouvido a grandes distâncias. Está entre os maiores primatas neotropicais, sendo animais característicos da Mata Atlântica. Podem ser facilmente observados no Parque Estadual da Cantareira e na região sul do município.



Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Pica-pau-de-banda-branca
(Dyocopus lineatus)


Comum nos parques da cidade de São Paulo, geralmente é avistado em busca de alimento, quando bate insistentemente seu forte bico contra os troncos e galhos das árvores à procura de insetos. Seu porte ereto, agarrado aos caules verticais e sua plumagem tricolor com as cores de São Paulo, chama a atenção das pessoas.



Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Beija-flor-tesourão
(Eupetomena macroura)


O mais comum entre os beija-flores encontrados na cidade de São Paulo, o tesourão pode ser visto em vários bairros, visitando jardins, quintais, varandas e apartamentos em busca de morada e alimento. Apesar da aparência delicada de beija-flor, esta pequena ave é muito corajosa, atacando aves bem maiores que possam invadir o seu território. Sua habilidade de vôo chama muito a atenção, bate as asas com grande velocidade, ritmo digno de um morador da cidade de São Paulo.



Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Rã-de-vidro
(Hyalinobatrachium uranoscopum)


De coloração verde, que lhe confere camuflagem em meio a vegetação, possui o ventre transparente, sendo por este motivo chamada rã-de-vidro. Muito delicada e dependente das matas úmidas para sua reprodução e sobrevivência, freqüenta as matas da região sul da cidade de São Paulo.



Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Periquito-rico
(Brotogeris tirica)


Uma das aves mais populares de São Paulo, este periquito é visto com frequencia em bandos, atravessando os céus da cidade, quando fazem grande algazarra. É atraído por árvores frutíferas, além de ipês, paineiras e outras. Quando ameaçado fica imóvel tentando se esconder entre a folhagem. Seu comportamento é muito similar ao da cidade de São Paulo, ou seja, acorda cedo, fazendo muito barulho logo nas primeiras horas da manhã.



Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Saruê
(Didelphis aurita)


Um dos animais mais comuns na cidade, pertence a um dos grupos de mamíferos mais antigos da Terra. As fêmeas carregam sua prole dentro de uma bolsa no seu ventre, assim como seus parentes cangurus. Esta espécie possui alimentação variada e pode ser vista em áreas verdes e urbanizadas da cidade. Têm grande poder de adaptação, adequando seus hábitos ao crescimento urbanístico da cidade.



Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Suçuarana
(Puma concolor capricorniensis)


Também conhecida como onça-parda, este é o maior felino registrado atualmente na cidade de São Paulo e o segundo maior do Brasil. É encontrado nos extremos sul e norte da cidade, podendo ser avistada quando se aproxima de chácaras e sítios em busca de alimento. Este animal está no topo da cadeia alimentar das espécies que habitam a nossa região metropolitana.


Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Caracará
(Caracará plancus)


De porte avantajado e muito chamativo, o carcará é uma ave que está se tornando cada vez mais comum na cidade. Adaptando-se às constantes mudanças da capital paulista, este rapinante pode ser observado em áreas verdes da cidade ou no alto dos prédios.


Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Sabiá-laranjeira
(Turdus rufiventris)


Um dos pássaros mais comuns da cidade de São Paulo e conhecido dos paulistanos, esta ave é comumente encontrada em jardins, praças, parques. Seu canto pode ser apreciado em vários bairros da cidade, principalmente nas manhãs e tardes primaveris. Constrói o ninho em locais acessíveis e próximos às habitações humanas, garantindo assim maior convívio.



Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Caxinguelê
(Sciurus ingrami)


Este simpático esquilo impressiona pela agilidade nos deslocamentos entre as árvores. Vive solitariamente e pode ser facilmente observado em fragmentos de florestas da cidade de São Paulo. Possui uma aguçada audição e sua vivacidade chama a atenção das pessoas.


Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
João-de-barro
(Furnarius rufus)


Esta ave popular pode ser considerada também um símbolo do trabalho pela maneira laboriosa como constroem seus ninhos de barro, em forma de forno sobre postes e mourões, surgindo inclusive alguns ?condomínios? com vários ninhos, algo semelhante aos prédios de apartamento de São Paulo. Sua presença é também percebida pela sua voz estridente emitida em duetos.


Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Papa-vento
(Enyalius inheringii)


O Papa-vento é um lagarto com aproximadamente 25 cm de comprimento que habita a Mata Atlântica. Já foi observado em vários parques da cidade de São Paulo. Sua alimentação é baseada em artrópodes que costuma caçar entre as folhas secas e restos de matéria orgânica encontrados sobre o solo das matas. O Papa-vento, apesar de ficar imóvel e ter aparência de réptil vagaroso, costuma fazer deslocamentos curtos e rápidos, ao ritmo da metrópole paulistana.


Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Tico-tico
(Zonotrichis capensis)


O Tico-tico é comumente observado em locais onde existem grandes áreas ajardinadas. Seu característico canto de demarcação do território, ou seu hábito de buscar alimento em jardins próximos a residências, o tornam um dos pássaros mais populares da cidade de São Paulo. O Tico-tico não é capaz de fazer distinção entre seus filhotes e os do chopim (Molothrus banariensis) que cria com zelo e dedicação.


Escolher Outro
Vote no animal para representar a Cidade de São Paulo
Perereca-flautinha
(Aplasodiscus albosignatus)


Vive nas serras do Mar e da Mantiqueira, recebe este nome pela sua vocalização que se assemelha a uma nota de flauta no interior da mata. A Perereca-flautinha possui um complexo sistema de corte e acasalamento que envolve sinalizações e toques. Seus ovos são depositados em tocas no solo, próximos a riachos. Na época das chuvas, o volume das águas aumenta e as tocas são inundadas, liberando os girinos para os córregos.

 
Ano Internacional da Biodiversidade Secretaria do Verde e do Meio Ambiente