domingo, 30 de maio de 2010

PARA QUE UM NOVO CÓDIGO FLORESTAL?




Existem leis e leis. Umas brandas, outras rígidas, umas que “pegam”, outras que não, sendo certo que a maioria delas no Brasil nasceu para não ser cumprida.



Getulio celebrizou-se, não só por ser um ditador, mas também por cunhar a frase “a lei ora, a lei”, dizendo com isto, que ele tudo podia.



Isto virou institucional, tanto assim que a regra no Brasil é não cumprir-se a lei. Se existe pena para quem não o faz, existem recursos e maneiras mil para postergar ou evitar o cumprimento da pena, além logicamente, da morosidade da Justiça, que sempre favorece os infratores.


Existem sim, leis que no Brasil são rigorosamente cumpridas, são as dezoito, vinte regras do futebol. Essas são conhecidas até por crianças no berço. Ai do juiz que não dá um penalty legítimo, um impedimento flagrante, vai ter que ouvir incontáveis minutos na mídia eletrônica de ofensas e ler páginas e páginas de jornais vociferando contra a sua ignorância esportiva.



Talvez seja pelo nosso habitual descumprimento das leis, que o repertório legiferante dos nossos legisladores seja infinito. No entanto, esta fúria de novos diplomas obedece um critério de interesses, as vezes não muito claros.



Existem leis e mais leis, que trariam benefícios para a população, que por não serem da conveniência do poderoso de plantão, dormem o sono dos injustos nas gavetas dos parlamentares omissos.



Estas são algumas razões pelas quais o empenho e a pressa de alguns parlamentares na aprovação de um novo Código Florestal, que viria substituir a Lei 4.771 de 15/09/1.965, que neste ano fará 45 anos (!) é acima de tudo suspeito e estranhável, dando vaza a inúmeras interpretações, todas desabonadoras para a Casa dirigida pelo deputado Michel Temer, com a total conivência do Palácio do Planalto.



Os motivos da pressa devem ser vários, só não se vê a preocupação, que deveria ser a primeira e mais importante: ambiental.



Nestes quarenta e cinco anos de existência de uma Lei, que segundo os defensores da sua revogação estaria tolhendo o agro-negócio tivemos:



- a devastação da Amazônia deu-se impiedosamente;



- o bioma cerrado deu lugar ao boi, à soja e ao milho;



- a Mata Atlântica ficou reduzida a menos de 7% da extensão original;



- as Áreas de Proteção Ambiental (APA’s) foram simplesmente ignoradas, não só pelos empresários rurais, que invadiram as margens de córregos e banhados, como pelo poder público que construiu moradias populares em zonas de proteção ou fez passarelas dentro de mananciais como foi o caso da Billings, como se viu na capital de São Paulo;



- a tal de “Reserva Legal”, só existe na ficção, pois a mata remanescente ou queda enterrada no sub-solo, à força de poderosos “scrappers”, ou simplesmente virou carvão de churrasqueira e brasa de siderúrgica que fornece aço para turbinar a economia chinesa.



Uma lei que permitiu tudo isso, precisa ser revogada? Lógico que não, precisaria isso sim, ser severamente aplicada. Antes de pensarmos em um novo Código deveríamos efetivamente aplicar o que já temos.



A iniciativa parlamentar cheira mal como a poluição das cloacas de Brasilia e sinaliza para a existência de interesses escusos por detrás de tanta pressa.



Luiz Bosco Sardinha Machado, jornalista MTE 58.114/sp

RECUPERAÇÃO DE SOLO CONTAMINADO É OBJETO DE PESQUISA

 Pesquisa estuda formas de recuperação do solo contaminado por metais pesados




http://www.fiocruz.br/ccs/media/ensp_metaispesados2.jpg
 imagem-ENSP

Elena Mandarim/FAPERJ


    
   


Em 2008, só no estado do Rio de Janeiro, 12.089.739,85 toneladas de resíduos foram despejadas pelas indústrias e pelos processos de extração de minérios, segundo dados do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). Nas sociedades contemporâneas, completamente dependentes do progresso, o lixo do desenvolvimento gera diversos problemas de saúde à população, além de causar danos ao meio ambiente.

sábado, 29 de maio de 2010

EMPRESA SUIÇA DESCOBRE NOVO SISTEMA DE FILTRAGEM DE ÁGUA

Uma pequena empresa suíça do setor de metalurgia descobre novo método de dessalinização  e filtragem da água


Sistema de filtragem de água da Trunz instalado em uma aldeia no delta do Orinoco, Venezuela. (foto: divulgação)

Sistema de filtragem de água da Trunz instalado em uma aldeia no delta do Orinoco, Venezuela.


As máquinas de filtragem e dessalinização de água da Trunz já foram exportadas para 35 países. Agora é a vez do Brasil.

DIA 1o. DE JUNHO - NOSSAS MATAS EM PERIGO - NOVO CÓDIGO FLORESTAL

Caros amigos, As nossas florestas estão em perigo! Deputados ruralistas querem destruir o Código Florestal Brasileiro, liberando o desmatamento de áreas protegidas por lei, especialmente na Amazônia. Assine a petição para salvar o Código Florestal:
Próxima terça-feira dia 1 de junho nossas florestas irão sofrer um ataque perigoso – deputados da “bancada ruralista” estão tentando destruir o nosso Código Florestal, buscando reduzir dramaticamente as áreas protegidas, incentivando o desmatamento e crimes ambientais. 

O que é mais revoltante, é que os responsáveis por revisar essa importante lei são justamente os ruralistas representantes do grande agronegócio. É como deixar a raposa cuidando do galinheiro!

Há um verdadeiro risco da Câmara aprovar a proposta ruralista – mas existem também alguns deputados que defendem o Código e outros estão indecisos. Nos próximos dias, uma mobilização massiva contra tentativas de alterar o Código, pode ganhar o apoio dos indecisos. Vamos mostrar que nós brasileiros estamos comprometidos com a proteção ambiental – clique abaixo para assinar a petição em defesa do Código Florestal:

Enquanto o mundo todo defende a proteção do meio ambiente, um grupo de deputados está fazendo exatamente o contrário: entregando de mão beijada as nossas florestas para os maiores responsáveis pelo desmatamento do Cerrado e da Amazônia. Eles querem simplesmente garantir a expansão dos latifúndios, quando na verdade uma revisão do Código deveria fortalecer as proteções ao meio ambiente e apoiar pequenos produtores.

As propostas absurdas incluem:



Reduzir a Reserva Legal na Amazônia de 80% para 50%



Reduzir as Áreas de Preservação Permanente como margens de rios e lagoas, encostas e topos de morro:



Anistia aos crimes ambientais, sem exigir o reflorestamento da área



Transferir a legislação ambiental para o nível estatal, removendo o controle federal



Essa não é uma escolha entre ambientalismo e desenvolvimento econômico, um estudo recente mostra que o Brasil ainda tem 100 milhões de hectares de terra disponíveis para a agricultura, sem ter que desmatar um único hectare da Amazônia.

A proteção das floretas e comunidades rurais dependem do Código Florestal, assim como a prevenção das mudanças climáticas e a luta contra a desigualdade do campo. Assine a petição para salvar o Código Florestal e depois divulgue!

http://www.avaaz.org/po/salve_codigo_florestal/?vl

Juntos nós aprovamos a Ficha Limpa na Câmara e no Senado. Se agirmos juntos novamente pelas nossas florestas nós podemos fazer do Brasil um modelo internacional de desenvolvimento aliado à preservação.

Com esperança,
Graziela, Alice, Paul, Luis, Ricken, Pascal, Iain and the entire Avaaz team

Saiba mais:
País tem 100 mi de hectares sem proteção - Estado de São Paulo:

Estudos ressaltam importância ambiental do Código Florestal - WWF:

Para ambientalistas, relatório de Rebelo é genérico e equivocado :

sexta-feira, 28 de maio de 2010

ESCASSEZ DE FUNDOS É MAU PRENÚNCIO PARA ÁFRICA

Escassez de fundos ameaça saúde de crianças na RC Africana

http://www.pime.org.br/imagens/mmnov2005-f45a.jpg
aldeia da Republica Centro Africana

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.



Unicef disse que só recebeu um pouco mais de 10% de um apelo de US$ 12 milhões que lançou para financiar as suas operações no pais; segundo a agência, pelo menos 300 mil crianças com menos de cinco anos e 100 mil mulheres grávidas não irão ter acesso a pacotes integrados de saúde e nutrição.

O DIREITO DE TODOS


A maioria das democracias modernas, que surgiu depois da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão erigida na França do século XVIII, elegeu como bem máximo a ser protegido, a vida humana, corretamente partindo do pressuposto de que ela é o principal patrimônio do indivíduo e que o resto seria puro acessório, que dependeria exclusivamente dela para existir.

O Brasil como as demais nações ocidentais, já no Império, muito tempo depois, seguiu o exemplo francês .

quinta-feira, 27 de maio de 2010

HOJE, DIA DA MATA ATLÂNTICA

http://www.geocities.ws/piracemaecologia/bromelia-2.jpg
 27 DE MAIO DIA NACIONAL DA MATA ATLÂNTICA

Dia 27 de maio celebra-se o Dia da Mata Atlântica, um dos oito biomas brasileiros, protegido pela Constituição Federal como patrimônio nacional (artigo 225, § 4º). Estendida em 91.000 Km² do país, ela abriga uma das mais altas taxas de diversidade biológica do mundo, com muitas espécies em extinção.

A escolha da data, estabelecida em um decreto presidencial de 1999, remonta à colonização do Brasil pelos portugueses. Foi no ano de 1560 que, sensibilizado com a extraordinária biodiversidade da Mata, o Padre José Anchieta, escreveu a famosa Carta de São Vicente, primeiro registro histórico sobre o bioma.
Apesar da devastação que vem sofrendo desde 1500, a grandiosidade da Mata ainda impressiona: presente em 17 dos 26 estados brasileiros, do Rio Grande do Sul ao Piauí, ela apresenta diferentes relevos e paisagens e uma biodiversidade que chega a mais de 22 mil espécies de animais e plantas.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

GALINHAS PARA REDUZIR LIXO ORGÂNICO

Cidade belga distribui galinhas aos moradores para reduzir lixo orgânico

Mouscron, na Bélgica, distribui galinhas aos moradores para diminuir o lixo doméstico. Moradores têm de se comprometer a não abater o animal por dois anos. Iniciativa já levou à campanha "troco lixo por ovos".

Preocupada com a grande quantidade de lixo doméstico produzido na cidade, há três anos a prefeitura de Mouscron, perto da fronteira entre a Bélgica e a França, resolveu doar galinhas aos moradores. Cada animal consome cerca de um quilo de lixo orgânico por semana.

terça-feira, 25 de maio de 2010

AGROECOLOGIA SABEDORIA DA VIDA

Agroecologia em contraposição aos agrotóxicos do agronegócio


Por Michele Torinelli (texto e fotos)
de Francisco Beltrão/MST.org


Na 9ª Jornada de Agroecologia, Plínio de Arruda Sampaio, presidente da Associação Brasileira de Reforma Agrária (ABRA), indicou logo ao que veio: explicar como o capital atua na agricultura.

VIDA MARINHA DEPOIS DO VAZAMENTO DE ÓLEO NO GOLFO INSPIRA CUIDADOS


Sea Shepherd anuncia campanha para salvar vida marinha no Golfo do México


SeanJessica[1] PEQ
Cena do vazamento de óleo do navio Jessica em Galápagos. Foto: Sea Shepherd
da SEA por Raquel Soldera, voluntária do ISSB.

A British Petroleum (BP), exploradora de petróleo em águas profundas no Golfo do México, está se tornando a responsável pelo maior e mais destrutivo derramamento de petróleo da história. Trata-se de uma emergência e um ataque massivo a um grande ecossistema marinho. Enquanto a British Petroleum pode ser moral e juridicamente responsável por causar esta catástrofe, é impraticável e insensato deixar o resgate de toda a vida marinha no Golfo do México para uma empresa privada. Todos nós precisamos nos unir para resolver isso, e precisamos fazê-lo rapidamente.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

DELICIA DE PROTEÍNA

Partes desprezadas do camarão-rosa
têm alto valor proteico, revela pesquisa



http://images.quebarato.com.br/photos/big/4/D/1EA74D_1.jpg
Raquel do Carmo Santos ornal da UNICAMP


As partes do camarão-rosa normalmente desprezadas pelo consumidor – a cabeça, a casca e a cauda – são justamente as que apresentam altos valores de proteínas e óleo rico em ácidos graxos com valores consideráveis de ômega 3 – gorduras essenciais ao funcionamento do organismo e que estão sendo amplamente estudadas por pesquisadores do mundo todo. A descoberta foi feita pela engenheira química Andrea Del Pilar Sánchez Camargo em pesquisa desenvolvida na Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA), sob orientação do professor Fernando Antonio Cabral, que afirma existir poucos estudos na identificação dos teores de ômega 3 nos resíduos de camarão-rosa nacional.  

RIO: BICICLETAS NA ORLA DA PRAIA

Do Observatório do Clima

 Em Janeiro desse ano a prefeitura do Rio de Janeiro lançou a campanha “Rio Capital da Bicicleta”. Foram instaladas barracas na orla da praia que alugam bicicletas por dez reais por dia ou vinte reais por mês. Nas barracas trabalham técnicos especializados que ajudam na manutenção das bicicletas e orientam como pedalar bem entre pedestres e automóveis.







Foto: André Rocha Ferretti


A iniciativa pretende mostrar ao público que a bicicleta não é somente um veículo de lazer, mas também um meio de trasporte limpo e saudável.A meta da campanha é dobrar os 150km de ciclovias que existem na cidade e com isso pretende-se reduzir 8% das emissões de gases que provocam o efeito estufa, até 2012.

sábado, 22 de maio de 2010

22 DE MAIO - DIA DA BIODIVERSIDADE


IYB Travelling Exhibition





Día Internacional de la Diversidad Biológica

22 de Mayo 2010

Biodiversidad, desarrollo y alivio de la pobreza

El tema para el Día Internacional de la Diversidad Biológica (DIDB) en 2010 es la Biodiversidad, Desarrollo y Alivio de la Pobreza. Este año, el DIDB es parte del Año Internacional de la diversidad biológica! Designación del DIDB de 2010 sobre el tema del desarrollo proporciona a las Partes en el Convenio sobre la Diversidad Biológica (CDB) y los relacionados con el desarrollo, la oportunidad de crear conciencia del problema e incrementar la acción práctica.
UN Secretary-General
Message from the United Nations Secretary-General on the International Day for Biological Diversity, 22 May 2010
.

Las especies y los hábitats del planeta, y los bienes y servicios que proporcionan, constituyen la base de nuestro patrimonio, nuestra salud y nuestro bienestar. Sin embargo, a pesar de los repetidos compromisos contraídos a nivel mundial para proteger ese importante legado, la variedad de las múltiples manifestaciones de vida en la Tierra sigue disminuyendo a un ritmo sin precedentes. La pérdida de diversidad biológica está haciendo que los sistemas económicos se acerquen cada vez más al punto crítico más allá del cual no podrán seguir cumpliendo sus funciones vitales.

Las comunidades de todo el mundo sufrirán las consecuencias negativas de esta pérdida, pero los que más sufrirán serán los pueblos más pobres y los países más vulnerables. El 70% de los pobres del mundo viven en zonas rurales y para su ingreso y sustento diario dependen directamente de la diversidad biológica. Esa es una de las razones por las que en los Objetivos de Desarrollo del Milenio se incluyó la meta fijada por los líderes mundiales en 2002 de reducir sustancialmente la pérdida de diversidad biológica para 2010.
Hemos llegado ya a la fecha prevista, pero el deterioro de nuestros recursos naturales avanza a ritmo rápido. Para volver a centrar la atención en este problema, la Asamblea General de las Naciones Unidas declaró 2010 Año Internacional de la Diversidad Biológica. Este año, más adelante, la Asamblea General celebrará una reunión especial de alto nivel, en correspondencia con la Cumbre de las Naciones Unidas sobre los Objetivos de Desarrollo del Milenio, que se reunirá en septiembre, con objeto de proporcionar el necesario impulso para la Cumbre sobre la Diversidad Biológica que tendrá lugar en Nagoya en octubre. La meta a que se apunta es la de formular una nueva visión de la diversidad biológica.
Esa nueva visión deberá promover la conservación y la utilización sostenible de la diversidad biológica y la distribución equitativa de sus beneficios. En ella también se deberán reconocer los estrechos vínculos existentes entre nuestro capital natural y nuestros objetivos de desarrollo, cuestión que se reflejó en el tema del Día Internacional de la diversidad biológica de este año: “diversidad biológica para el desarrollo y el alivio de la pobreza”.
En este Año Internacional de la Diversidad Biológica, reflexionemos sobre las causas de
la declinación de la diversidad biológica y tomemos medidas para detenerla. Centremos nuestras políticas y nuestra mentalidad a la tarea de reflejar el verdadero valor de las especies y los hábitats. Reconozcamos que la diversidad biológica es vida: la vida de todos nosotros. Actuemos ahora y protejámosla antes de que sea demasiado tarde.
http://www.cbd.int.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

BRASIL - O PAÍS DO FUTURO (DEGRADADO)!


Ana Echevenguá

 (a farsa da reciclagem)

O grande ambientalista Contreras repassou-nos a seguinte notícia: "Brasil é o país que causa maior impacto ao meio ambiente"1, segundo estudos comparativos de degradação ambiental entre 170 países, publicado na revista científica PloS One (http://www.plosone.org/).  Na lista dos dez piores, estamos na frente dos EUA, China, Indonésia, Japão, México, Índia, Rússia, Austrália e Peru.

FERTILIZANTES

Uso de bactérias no solo aumenta colheitas em 100%, diz Pnuma



Foto: World Bank
Foto: World Bank/ radio ONU/ por Eduardo Costa Mendonça

Projeto internacional de pesquisa intitulado 'Manejo Sustentável da Biodiversidade Subterrânea' observou a relação entre microorganismos presentes no solo e a produtividade das plantações; estudo tem o apoio da agência da ONU.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

A COISA TÁ PRETA EM URUSSANGA SC

Ana Echevenguá

Na semana passada fui, com a Miss Ecologia SC 2010, fotografar a paisagem lunar do interiorzão de Urussanga. Izabel Rodrigues mostrou-me um pouco da destruição praticada pelos ‘Senhores do Carvão’. Um horror! A céu aberto, comprovei a afirmativa do professor Gerson Philomena: “A máquina Marion arrasou uma mata atlântica riquíssima, de uma biodiversidade rica e intensa. Alguns até poderiam considerar bonito na época a retirada de árvores frondosas inteiras. Retirava a natureza, para retirar o carvão”1. 

quarta-feira, 19 de maio de 2010

PESCA


Adaptação do setor pesqueiro pode gerar benefícios de US$ 1,7 trilhão


http://www.nordestebrazil.com/BancoImagem/Pesca/Pesca.V10.jpg


Segundo o diretor-executivo do Pnuma, Achim Steiner, as reservas pesqueiras em todo o mundo estão sendo saqueadas e exploradas em níveis insustentáveis; para Steiner essa falha de gestão dos recursos naturais vai adquirir proporções gigantescas se não for resolvida.
http://www.infoescola.com/files/2009/08/pesca-arrastao1.jpg
pesca de arrastão- foto greenpeace/Roger Grace

CONHECENDO OS JABUTIS DA AMAZONIA


JABUTIS DA AMAZÔNIA - Conhecendo as espécies que vivem na floresta


Jabuti-piranga. Animal chega a medir 45 centímetros de comprimento e pesar oito quilos

Por Camila Ferrara*

Um animal de casco duro, conhecido por sua lentidão ao andar e por se esconder em sua carapaça quando incomodado. Claro, estamos falando do jabuti!

RECICLAGEM PARA O BEM DO MUNDO


José Onério

A sustentabilidade ambiental e a preservação do meio ambiente são assuntos dos mais pautados nos últimos anos, principalmente o desenvolvimento sustentável e a conscientização ecológica das sociedades.

A reciclagem faz parte desta nova corrente de sustentabilidade e é importante para a conservação do meio ambiente. Basicamente, reciclar é trazer de volta ao ciclo produtivo o que se joga fora, é uma maneira de poupar energia e recursos naturais, evitando que esse lixo se degrade na natureza.

terça-feira, 18 de maio de 2010

BIODIVERSIDADE

A biodiversidade em Áreas Protegidas da África está em rápido declínio




Bartek Kuzia / Flickr Kuzia Bartek Flickr /



A BirdLife, através do seu programa de IBA, desenvolveu um mecanismo de identificação de locais prioritários para conservação da biodiversidade.



A biodiversidade está diminuindo progressivamente em Áreas Protegidas da Africa de acordo com a BirdLife International. Isto foi revelado durante um evento paralelo promovido pela pela BirdLife durante a CBD SBTTA 14 reunião com os delegados de Governo de todo o mundo da UNEP Gigiri no Quênia.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

DAVI KOPENAWA

"A Terra está brava com o homem branco", diz líder yanomami Davi Kopenawa



Davi Kopenawa

Com sábio carisma, xamã é "Dalai Lama da Floresta Tropical". Seu povo trava em Roraima batalha de vida ou morte contra garimpeiros e destruição ambiental. Deutsche Welle o entrevistou em Munique na estreia de "Amazonas".

Imagine abrir a porta e 20 estranhos lhe entrarem casa adentro, ocupando todos os cômodos, esgotando seus mantimentos, envenenando o ambiente, provocando doenças, agredindo, intimidando, deixando-o sitiado num quarto dos fundos, incapaz de sair para cuidar da própria subsistência. Por quanto tempo suportaria tal situação?

sábado, 15 de maio de 2010

ESALQ PESQUISA INVASÃO DE LAGARTA EM PIRACICABA



Lagartas cosmosoma em planta hospedeira
Crédito: Divulgação

Mariposa cosmosoma
Crédito: Divulgação

Pupas cosmosoma
Crédito: Divulgação

Investigação sobre lagartas invasoras atendeu solicitação de morador do Jupiá

sexta-feira, 14 de maio de 2010

MITO E CULTURA NO LABIRINTO DAS ÁGUAS

A presença excessiva de rios e igarapés instiga o imaginário popular em Santa Bárbara

por Jéssica Souza
foto Tatiane Vidal

Era uma... foi uma vez... que eu ia pra beira do igarapé, eu, minha mãe e um rapaz. Nós fomos pescar siri. Quando a gente chegou na beira desse igarapé, era umas cinco horas da tarde, a gente já tinha meia saca de siri, de tanto que a gente gostava de pescar. E a minha mãe disse: "Não, umbora mais adiante um pouco". Choveu, deu aquela chuva. Então, a maré tava muito alta. E aí, apareceu... vinha assim, cortando água... pra mim era dois 'tubarão'. E eu disse: "Mãe, olhe, dê uma olhada, vem dois tubarão ali". Aí ela me disse: "Meu Deus do céu, é a Cobra Grande". Eu achava que era dois tubarão, era a presa da cobra. Quando ela levantou a cabeça, nós vimos que era realmente a Cobra Grande, a coisa mais horrorosa do mundo, eu nunca tinha visto.

MUDANÇA CLIMÁTICA PODE AFETAR ATÉ METADE DO PLANETA

'Meio mundo pode ficar inóspito com mudança climática', diz estudo

Pesquisa leva em conta perspectivas mais extremas de modelos climáticos

O aquecimento global pode deixar até metade do planeta inabitável nos próximos três séculos, de acordo com um estudo das universidades de New South Wales, na Austrália, e de Purdue, nos Estados Unidos, que leva em conta os piores cenários de modelos climáticos.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

NOVIDADE

Empresário cearense cria poste ecológico e o testa na sede do Governo. Invento já é realidade e pode ganhar as ruas do País
fonte- o estado verde


Foram mais de sete anos de espera, mas hoje, o Ceará pode reivindicar a autoria exitosa de um invento fantástico, que tem tudo para abrir uma nova perspectiva sobre o consumo energético no Estado: é o “Poste de Iluminação Pública Híbrido”, o primeiro movido inteiramente por vento e sol.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

MILHÕES DE CRIANÇAS TRABALHAM NA PESCA DENUNCIA ONU

ONU denuncia 132 milhões de crianças trabalham no setor da pesca

Cerca de 132 milhões de crianças entre 5 e 14 anos, trabalhando no setor das pescas, por vezes em condições de perigo, foram identificadas por especialistas da ONU, durante uma reunião internacional em Roma.

A reunião foi convocada pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e a Organização Internacional do Trabalho. Ambas as agências dizem que ainda precisam realizar mais estudos para determinar o uso do trabalho infantil neste sector.

terça-feira, 11 de maio de 2010

BIODIVERSIDADE: PAÍSES NÃO ALCANÇAM METAS PARA 2.010

Os governos do mundo não conseguem cumprir metas de biodiversidade para 2010



Steve Arlow / Rare Birds Yearbook




Black Stilt: successfully stopped from going extinct

Os líderes mundiais têm falhado no cumprimento dos compromissos assumidos em 2002 para reduzir a taxa global de perda de biodiversidade até 2010, e em vez supervisionado diminui a biodiversidade alarmante. Estas conclusões são o resultado de um papel novo publicado na revista Science de liderança e representam a primeira avaliação de como as metas feita através da Convenção de 2002 sobre a Diversidade Biológica (CBD) não foram cumpridos.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

SOMENTE 1% DO LIXO DE SÃO PAULO É RECICLADO



Após 20 anos, o sistema de coleta seletiva da Prefeitura consegue reutilizar apenas uma garrafa PET por habitante a cada semana

ANA BIZZOTTO, BRUNO PAES MANSO e DIEGO ZANCHETTA - O Estado de S.Paulo

Depois de 20 anos, o sistema de coleta seletiva de lixo da Prefeitura consegue reciclar, em média, apenas 280 gramas por mês por habitante, o que significa que o paulistano só manda para a reciclagem peso correspondente a uma garrafa PET a cada seis dias. O total representa 1% de todo o lixo produzido na cidade.

EUCALIPTOS CLONAIS AJUDAM A SUPRIR DEMANDA DE MADEIRA PARA DIVERSOS USOS

Vilma Homero/FAPERJ



Até 2011, a Du Campo pretende passar dos atuais 4 milhões para 8 milhões de mudas, ampliando suas instalações

Considerando que um eucalipto apto ao corte produz 0,38 m³ de madeira, uma pessoa de 68 anos terá consumido, ao longo da vida, cerca de 300 árvores. Para isso, basta que tenha usado papel, móveis, adquirido um automóvel ou mesmo consumido energia. Os dados são da Universidade Federal de Viçosa e sinalizam para a necessidade de, cada vez mais, se usar madeira de reflorestamento.

sábado, 8 de maio de 2010

PARQUE DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL EM RO

Comissão aprova criação de parque de preservação ambiental em RO

Agencia Camara


A nova unidade de conservação em Rondônia terá uma área equivalente a cerca de 182 mil campos de futebol.



A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável aprovou a Mensagem 921/08, do Executivo, que prevê a cessão de 182 mil hectares da União à Rondônia para criação do Parque Estadual de Corumbiara. Essa extensão equivale a aproximadamente a 182 mil campos de futebol.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

RAONI BUSCA APOIO PARA IMPEDIR BELO MONTE

Cacique Raoni busca apoio na Europa para impedir construção de Belo Monte

O cacique Raoni, chefe dos caiapós, pediu nesta quarta-feira, em Paris, que os dirigentes europeus com os quais se reunirá na França, Luxemburgo e Mônaco o apoiem para preservar o pulmão do planeta, ameaçado pela construção da represa de Belo Monte.

France Presse

"Fui enviado por todos os índios da região Caiapó para obter recursos para proteger a selva", afirmou à AFP Raoni Metukire, que representa os 6.300 membros do povo caiapó, que habita a selva do Pará, acompanhado pelo escritor francês Jean Pierre Dutilleux, co-autor de "Raoni, memórias de um chefe indígena".

quinta-feira, 6 de maio de 2010

AS LIÇÕES DA DEEPWATER

QUEM NOS PROTEGE?



O acidente com a plataforma oceânica Deepwater de propriedade da todo-poderosa British Petroleum America, ocorrido no dia 23 do mês passado, põe a nu uma série de questões a serem respondidas.



Apenas para recapitular, o acidente que ocorreu primeiramente com a explosão da plataforma, que causou a morte de onze operadores, seguida de afundamento, talvez tenha sido um dos maiores de que se tem notícia, só comparável ao do petroleiro “Exxon Valdez” que foi a pique em 1.989.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

"AZEITONINHA-DAS-NUVENS" RECÉM-DESCOBERTA E JÁ AMEAÇADA


‘Azeitoninha-das-nuvens’ é como os pesquisadores apelidaram uma árvore descoberta na Serra do Mar. Mas o avanço do aquecimento global periga colocá-la logo na lista de espécies vegetais ameaçadas de extinção.

Por: Bruna Ventura


‘Symplocos atlântica’: apelido de azeitoninha-das-nuvens em alusão aos frutos que parecem azeitonas e por causa de sua localização na mata de neblina (foto: Thayná J. Mello).

Descoberta recentemente, a Symplocos atlântica ganhou o apelido de azeitoninha-das-nuvens por causa de seus frutos pretos, no formato de azeitonas, e sua localização, na floresta nebular. Esse tipo de vegetação, também conhecida como mata de neblina, cresce nas alturas da mata atlântica ou em outros biomas. Na porção da Serra do Mar onde vive a azeitoninha, essa formação ocorre a partir de 1.100 metros acima do nível do mar e apresenta constante condensação de umidade, baixas temperaturas e ventos frequentes.

COMUNIDADE INDIGENA RETOMA EXTRAÇÃO DE LÁTEX

Comunidade indígena em Mato Grosso retoma extração de látex


Projeto do Pnud fornece equipamentos e sessões de treinamento para comunidade local e ajuda indígenas a retomarem extração de látex; eles tinham abandonado a prática devido ao declínio no número de compradores e ao aumento da competição internacional.

Extração de látex

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York.*

Uma comunidade indígena do estado brasileiro do Mato Grosso vem retomando a extração de látex de seringueiras nativas com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud.

terça-feira, 4 de maio de 2010

O PROBLEMA DO LIXO


Projeto em Campinas quer estimular e quantificar atividade das bactérias metanotróficas (que oxidamo gás metano) na cobertura de aterros sanitários

Um projeto da Poli coordenado por Marinho, em parceria com a bióloga Vivian Pellizari, docente do Instituto Oceanográfico (IO) da USP, pesquisa em Campinas diferentes materiais e métodos para cobertura do aterro sanitário Delta A1. A meta é otimizar a oxidação do metano (CH4) por bactérias, para diminuir a emissão do gás – o mais nocivo ao aumento do efeito estufa – na atmosfera. "Um dos nossos objetivos é a quantificação, isto é, saber quanto de metano está sendo deixado de ser emitido. Para isso, o desafio é desenvolver um sistema de monitoramento.", conta o professor da Poli.

Também tratando da disposição de resíduos, o professor Osni Pejon desenvolve na EESC uma pesquisa de materiais naturais que podem ser usados como barreira protetora, retendo os contaminantes e impedindo a contaminação do solo e da água subterrânea em São Carlos. "A disposição de qualquer resíduo não pode ser feita sem estudos prévios das características do solo, relevo e posição dos aquíferos, para que não haja risco de contaminação. Na maioria das cidades, lixões e aterros não fazem a proteção correta, e um dos motivos é o custo – é por isso que pesquisamos materiais naturais disponíveis no solo da própria região, o que barateia o sistema", explica o docente.

Ocupação segura de encostas

Na Poli, as pesquisas de geotecnia ambiental são realizadas principalmente no Laboratório de Mecânica dos Solos, do qual Fernando Marinho faz parte. Um outro estudo conduzido pelo professor no Laboratório teve início em 2008 e entra agora em sua segunda etapa. Em conjunto com o Instituto Geológico (IG) do Estado de São Paulo, foi desenvolvido um sistema de instrumentação que avalia como se dá o processo de infiltração da água na região da Serra do Mar, o que pode variar dependendo da inclinação do terreno, da condutividade hidráulica e do uso e ocupação do solo.

"Com o conhecimento adquirido, a ideia agora é colocar estes instrumentos em encostas com risco de escorregamento. Compreendendo como se dão tais processos na região, no futuro há a possibilidade do sistema ser usado para monitorar áreas e indicar, por exemplo, a necessidade de desocupação", projeta Marinho.

A EESC também pesquisa áreas de encostas (inclinação elevada) com probabilidade de deslizamento. Sob a coordenação do professor Lázaro Valentin Zuquette, estudos têm avaliado o risco de movimentos de massa gravitacionais ou relacionados a processos erosivos em cidades como Campos do Jordão (SP) e Ouro Preto (MG), envolvendo, entre outras coisas, a elaboração de cartas (mapas) geotécnicas.

Tragédias

O professor Fernando Marinho esteve em 2008 em Santa Catarina, na ocasião dos numerosos desabamentos ocorridos após as chuvas no Estado. "O grande problema destas catástrofes é os órgãos públicos não impedirem a ocupação de áreas de longa data conhecidas pela grande suscetibilidade a rupturas", lamenta.

Mesmo em locais como o Rio de Janeiro – segundo o pesquisador, local com boa infraestrutura e informações relacionadas às encostas – as pessoas continuam ocupando áreas inadequadas. "No caso do Morro do Bumba, em Niterói, a ruptura colocou em evidência outra questão, que é as pessoas morarem sobre antigos lixões. Além de ser um material altamente instável devido à sua colocação desordenada, há o problema da insalubridade. O próprio gás metano liberado pode gerar explosões, como já ocorreu em uma ocupação em Itapecerica da Serra [SP] há alguns anos", comenta.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

Linhas de fomento incentivam a inovação tecnológica


Sérgio Queiroz e Fernão de Souza Vale
  Portal Unicamp
O investimento em inovação é considerado estratégico e são várias as fontes de financiamento disponíveis que visam incentivar empresários a atuarem nesse tipo de atividade, independente do tamanho da empresa. Essas iniciativas também buscam formas de aliar universidades e institutos de pesquisa, responsáveis pela maior parte da produção de pesquisa no país, com o setor denominado produtivo, ambiente natural da inovação tecnológica.

TORRES MICROMETEREOLÓGICAS SERÃO INSTALADAS NO SERTÃO

imagem- scielo.br
da sectma.pe.gov.br

A instalação das torres será acompanhada por técnicos do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec)/Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Lamepe, que atuam mediante parceria na execução do projeto Muclipe. As torres serão equipadas com sensores instalados em dois sistemas de medidas, sendo um em alta frequência (fluxos de CO2, vapor d´água e calor sensível) e outro em baixa frequência (componentes do balanço de radiação, temperatura e umidade relativa do ar, precipitação, umidade e temperatura no perfil do solo). O monitoramento será permanente, visando à coleta de dados em longo prazo e, assim, obter dados que possibilitem a caracterização mais precisa, do ponto de vista micrometeorológico, da caatinga.

domingo, 2 de maio de 2010

AGUA PURA E DE BAIXO CUSTO




Destilador de água de baixo impacto ambiental, desenvolvido pela ESALQ, diminui em até 20 vezes os custos com água e energia em laboratórios de pesquisa
Crédito: Paulo Soares (ESALQ/Acom)
A utilização do destilador de água é um drama clássico dentro dos laboratórios de análises químicas. Isso porque o processo de purificação envolve alto consumo de água e de eletricidade, já que opera com ininterruptas sessões de aquecimento e resfriamento, levando ralo abaixo uma infinidade de litros de água. Para que se obtenha 1 litro de água com índice satisfatório de pureza, os destiladores convencionais chegam a consumir até 48 litros. Portanto, o impasse ambiental referente a essa demanda é algo premente tanto em escala industrial quanto acadêmica. Buscando encontrar alternativas para esse paradigma, o professor Marcos Yassuo Kamogawa, do departamento de Ciências Exatas (LCE), coordenou o projeto "Desenvolvimento de destilador de água laboratorial de baixo impacto ambiental", financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) via projeto de pesquisa universal.

sábado, 1 de maio de 2010

MANDADO DE PRISÃO CONTRA COMANDANTE DO SEA SHEPHERD



Japão obtém mandado de prisão contra Capitão Watson da Sea Shepherd

1 maio 2010/ do SEA SHEPHERD
080303_Paul_Watson peq


A Guarda Costeira do Japão obteve um mandado de prisão contra o presidente internacional da Sea Shepherd Conservation Society, capitão Paul Watson, acusado de ordenar membros da ONG a impedir a caça à baleia anual japonesa. Watson, canadense de 59 anos, será colocado numa lista de procurados via Interpol, afirmou a agência de notícias Kyodo.
"O governo japonês está desesperado para impedir os navios do Sea Shepherd de retornarem ao santuário de baleias do oceano Austral na temporada de caça 2010-2011″, disse Watson.
As autoridades japonesas prenderam neste ano o ativista do Sea Shepherd, capitão Peter Bethune, e acusaram-no de cinco infrações no começo deste mês, depois que ele abordou um navio da frota baleeira nipônica para dar voz de prisão a seu capitão. Com as diversas ações de protesto realizadas pela Sea Shepherd, o Japão capturou apenas 500 baleias de uma quota de 900 de seu programa "científico" no oceano Austral na última temporada.
A ação vem num momento em que a Comissão Internacional da Baleia tenta negociar um acordo de conciliação no longo debate entre países caçadores e conservacionistas que pode permitir ao Japão aumentar sua quota de captura costeira de animais, contanto que corte a caça "científica" na Antártida.